Geraldo Vandré

Sunday, July 16, 2006

Biografia


Em 1935, nasce na Paraíba Geraldo Pedrosa de Araújo Dias, ou simplesmente Geraldo Vandré. Aos 16 anos muda-se para o Rio de Janeiro com a família, onde conhece pessoas ligadas ao meio artístico, como o compositor Valdemar Henrique, Baden Powell e Luís Eça, e sempre interessado por música, tornando-se cada vez mais famoso no ambiente dos festivais.
No ano de 1968 a música "Pra Não Dizer que Não Falei de Flores" conquista o segundo lugar no festival da TV Globo, apesar de ser favorita do público, perdendo para "Sabiá" (Chico Buarque/ Tom Jobim). Concluiu a faculdade de Direito, ligando-se a movimentos estudantis de grande repercussão, no entanto, “pendurou” seu diploma em função da sua grande paixão pela música.
Com a promulgação do AI-5(Ato Institucional nº 05) e o acirramento da ditadura, foi exilado, e morou no Chile, França, Argélia, Alemanha, Áustria, Grécia e Bulgária nos 4(quatro) anos que ficou fora do Brasil. Vandré tornou-se uma espécie de "mito" da resistência à ditadura, por ter ficado sem fazer shows no Brasil desde 1968. Apresentou-se no Paraguai em 1982 e 1985, rompendo mais de uma década de silêncio.

Durante a década de 1960, delinearam-se na música popular brasileira três grandes tendências: a primeira era composta por artistas que herdaram a experiência da Bossa Nova (ou seus próprios representantes), e compunham uma música que possuía relações com o samba e o jazz (grupo no qual pode-se inserir a figura de Chico Buarque); um segundo grupo reunido sob o título "Canção de Protesto", que em geral estava pouco interessado em discutir a música propriamente dita mas fazer da canção um instrumento de crítica política e social (neste grupo destaca-se a figura de Geraldo Vandré); e finalmente havia um terceiro grupo, especialmente dedicado a promover experimentações e inovações estéticas na música formado justamente pelos artistas tropicalistas.

FONTE: www.mpbnet.com.br
www.alfarrabio.org (figura)
www.wikipedia.org

Atualmente, há uma barreira imensa quando se trata de formação profissional, e um dos caminhos mais difíceis é o da formação acadêmica de Direito! Disso, o que mais valorizamos em nossa vida é a liberdade. Na sua opinião, hoje, você largaria uma profissão concreta, com uma carreira praticamente instável para se aventurar em sonhos?
Não deixe de comentar!!!!

Monday, July 10, 2006

Músicas

Prá não dizer que não falei de flores
Geraldo Vandré
Composição: Geraldo Vandré

Caminhando e cantando e seguindo a canção
Somos todos iguais braços dados ou não
Nas escolas, nas ruas, campos, construções
Caminhando e cantado e seguindo a canção
Vem, vamos embora que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer
Pelos campos a fome em grandes plantações
Pelas ruas marchando indecisos cordões
Ainda fazem da flor seu mais forte refrão
E acreditam nas flores vencendo o canhão
Vem, vamos embora que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer
Há soldados armados, amados ou não
Quase todos perdidos de armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam uma antiga lição:
De morrer pela pátria e viver sem razão
Vem, vamos embora que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer
Nas escolas, nas ruas, campos, construções
Somos todos soldados, armados ou não
Caminhando e cantando e seguindo a canção
Somos todos iguais, braços dados ou não
Os amores na mente, as flores no chão
A certeza na frente, a história na mão
Caminhando e cantando e seguindo a canção
Aprendendo e ensinando uma nova lição
Vem, vamos embora que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.
Arueira
Geraldo Vandré
Composição: Geraldo Vandré
Vim de longe, vou mais longe
Quem tem fé vai me esperar
Escrevendo numa conta
Pra junto a gente cobrar
No dia que já vem vindo
Que esse mundo vai virar
Noite e dia vêm de longe
Branco e preto a trabalhar
E o dono senhor de tudo
Sentado, mandando dar.
E a gente fazendo conta
Pro dia que vai chegar
Marinheiro, marinheiro
Quero ver você no mar
Eu também sou marinheiro
Eu também sei governar.
Madeira de dar em doido
Vai descer até quebrar
É a volta do cipó de arueira
No lombo de quem mandou dar.


Canção da Despedida
Geraldo Vandré
Composição: Geraldo Azevedo e Geraldo Vandré
Já vou embora, mas sei que vou voltar
Amor não chora, se eu volto é pra ficar
Amor não chora, que a hora é de deixar
O amor de agora, pra sempre ele ficar
Eu quis ficar aqui, mas não podia
O meu caminho a ti, não conduzia
Um rei mal coroado,
Não queria
O amor em seu reinado
Pois sabia
Não ia ser amado
Amor não chora, eu volto um dia
O rei velho e cansado já morria
Perdido em seu reinado
Sem Maria
Quando eu me despedia
No meu canto lhe dizia


Canção Do Breve Amor
Geraldo Vandré
Composição: Geraldo Vandré e Alaíde Costa

BreveFoi a felicidade que trouxe o breve amor
BreveComo a mais breve estrela que no céu passou
Breve o instante comovente da paixão
Instante que redime
E faz sofrer e faz chorar o coração
BreveComo a perdida flor
Que longe floresceu
E o homem não colheu pra o seu amor
Breve foi a felicidade
Como longa essa saudade
Como triste o nosso amor


Canção Nordestina
Geraldo Vandré
Composição: Geraldo Vandré

Que sol quente que tristeza que foi feito da beleza tão bonita de se olhar
que é de Deus da Natureza se esqueceram com certeza da gente deste lugar
Olhe o padre com a vela na mão tá chamando prá rezar menino de pé no chão já não sabe nem chora reza
uma reza cumprida p'ra ver se o céu saberá.
Mas a chuva não vem não e esta dor no coração
Aí quando é que vai se acabar,quando é que vai se acabar?
FONTE: www.cliquemusic.uol.com.br

Monday, July 03, 2006

Comentários

"Esse cara é o máximo. Olha só o que ele diz, ao vivo no Maracanãzinho, após o empate com "A Banda" em 1966:
Olha... E sabe o que eu acho... Eu acho uma coisa só a mais... Antônio Carlos Jobim e Chico Buarque de Hollanda... Merecem o nosso respeito.... A nossa função é fazer canções, a função de julgar nesse instante é do júri que ali está... Um momento... Por favor, por favor, tem mais uma coisa só... Prá vocês, prá vocês... Que continuam pensando, que me apóiam vaiando! Gente... Gente... Por favor, olha tem uma coisa só... A vida não se resume em festivais!"


Ivan Zurawski, Vila Madalena, São Paulo, Brasil



"Desde o meu primeiro disco, eu já vinha de olho nas músicas do Vandré. Músicas belíssimas, como “Fica Mal com Deus”, e tantas outras, em parceria com nomes como Theu de Barros, Vinícius e tanta gente. Em 1966, vários nomes estavam sendo contratados pela TV RECORD, para programas de TV e etc. Com o festival, esses nomes eram indicados para defender canções e eu tive a sorte de ser designado para defender duas canções: “Canção para Maria”, de Paulinho da Viola e Capinan, que acabou em terceiro lugar e ”Disparada”, de Vandré e Theu de Barros, que dividiu o primeiro lugar com “A Banda”, de Chico Buarque, defendida por ele e pela saudosa Nara Leão."

Jair Rodrigues

Discografia



· Geraldo Vandré – 1964
· Hora de lutar – 1965
· Cinco anos de canção – 1966
· Canto geral – 1968
· Das terras de Benvirá – 1973